window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Missas no Brasil e exterior

Um mês de eternidade do Monsenhor Jonas: memória da vida e obra

Frentes de missão da Canção Nova no Brasil e no exterior terão Missas em memória do fundador da comunidade, falecido em 12 de dezembro passado

Julia Beck
Da redação

Primeira Missa celebrada em intenção pelo primeiro mês de falecimento de Monsenhor Jonas Abib /Foto: Larissa Ferreira

Nesta quinta-feira, 12, completa-se um mês do falecimento do Fundador da Comunidade Canção Nova, Monsenhor Jonas Abib. Para fazer memória da data, o Santuário do Pai das Misericórdias – localizado em Cachoeira Paulista (SP), cidade sede da comunidade, terá como intenção de todas as suas Missas a alma de Monsenhor Jonas Abib.

Acesse
.: Notícias sobre o adeus ao Monsenhor Jonas Abib

Além do Santuário do Pai das Misericórdias, todas as frentes de missão da Canção Nova — no Brasil e no exterior —, contarão com Celebrações Eucarísticas nesta mesma intenção. Em Roma, a Missa foi presidida pelo missionário da Canção Nova, padre Edison Oliveira, na Capela do Vaticano.

A primeira Missa no Santuário do Pai das Misericórdias, recordando Monsenhor Jonas Abib, aconteceu às 7h e foi presidida pelo missionário da Canção Nova, padre Bruno Antônio. Esteve presente o também missionário da comunidade, Diácono Nelsinho Côrrea.

Monsenhor Jonas faleceu no dia 12 de dezembro, Solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe, aos 85 anos. Ele estava tratando um mieloma desde maio de 2021, e teve complicações após passar por uma jejunostomia em um hospital da capital paulista onde estava internado desde o final de outubro.  A cirurgia visava controlar os frequentes episódios de pneumonia, provocados por broncoaspiração. 

O velório foi realizado até o dia 15 de dezembro. O último adeus aconteceu no Santuário do Pai das Misericórdias, onde o corpo do fundador da Canção Nova foi sepultado. A cripta está localizada na Sala das Graças alcançadas, no piso inferior do santuário, e é aberta para a visitação do público.

Monsenhor Jonas: homem de fé, confiança e contemplação

“Hoje ao fazermos memória de um mês da páscoa do Monsenhor Jonas, temos a oportunidade de recordar e manter vivo dentro de nós as obras que Deus realizou por meio da fé e confiança que ele sempre teve em Deus”, disse o sacerdote em sua homilia.

Padre Bruno enfatizou que Canção Nova e toda a sua extensão só é o que é hoje porque Deus encontrou um coração confiante de alguém que soube confiar. “Um coração aberto às graças de Deus, que não duvidou mesmo no sofrimento, nas provações e nas dificuldades”, disse em referência ao Monsenhor Jonas Abib.

“Hoje nós precisamos fazer uma coisa que o Monsenhor Jonas fazia muito bem, que é contemplar as obras de Deus. Padre Jonas sabia ver os milagres de Deus, aquilo que Deus foi realizando não só na sua vida, mas também na vida de toda a comunidade, na história da comunidade”, frisou.

De acordo com o presbítero, quem conviveu mais de perto com o Monsenhor Jonas sabe que ele contava com riqueza de detalhes os milagres de Deus na vida dele e na vida da comunidade. Padre Bruno destacou que ele via e contemplava os milagres, não se esquecia das obras e mantinha o coração aberto.

Acreditar em Deus

Também em sua homilia, ao refletir sobre a Primeira Leitura (Hb 3,7 – 14), o sacerdote afirmou que não se pode duvidar da bondade, do poder e da misericórdia de Deus. Duvidar de tais coisas, assegurou padre Bruno, é cometer o pecado – considerado gravíssimo – da incredulidade.

“Incredulidade é uma ofensa grave a Deus. (…) Ela faz com que as graças de Deus não cheguem até nós, não por castigo, porque Deus não castiga ninguém, mas porque ela não penetra no coração”, alertou.

O presbítero comentou também que um coração duro não é capaz de acolher a graça de Deus. “O que mais desagrada e ofende a Deus é a nossa falta de fé”, disse. O sacerdote comentou então sobre os momentos de provação:

“Não são para desanimar e desacreditar de Deus, muito pelo contrário, as provações precisam ser uma oportunidade de declararmos a nossa fé. É uma oportunidade para manifestarmos a nossa confiança em Deus”.

Humildade

Sobre o Evangelho do dia (Mc 1,40 – 45), padre Bruno destacou o exemplo do leproso que, mesmo passando pela provação da enfermidade e da rejeição, dá uma lição sobre humildade. “Uma lição de confiança e abandono à vontade de Deus”, recordou.

A primeira atitude do leproso sublinhada pelo presbítero é a de se ajoelhar diante de Jesus. “Soube reconhecer a grandeza de Jesus”, comentou. Depois, o sacerdote frisou que o leproso não só pediu pela sua cura, como confiou em Deus:

 “’Senhor se queres’, disse o leproso. Ele não impôs a sua vontade para Deus e (…) a resposta do Senhor pra ele foi: ‘Eu quero, fique curado’. Quando Deus encontra um coração resignado, que sabe confiar, Deus realiza milagres.”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo