window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

30/07

Comissão da CNBB recorda Dia de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

Segundo estimativas globais da ONU, cerca de 2 milhões de pessoas são vítimas do tráfico humano a cada ano, sendo os alvos preferenciais dos traficantes as pessoas vulneráveis

Da Redação, com CNBB

Foto: sammisreachers por Pixabay

O Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas foi instituído no dia 30 de julho, no ano de 2013. O objetivo da ONU, ao estabelecer um marco para o dia, foi criar maior consciência da situação das vítimas do tráfico de seres humanos e promover e proteger seus direitos.

De acordo com o relatório Global Report on Trafficking in Persons, do Escritório das Nações Unidas Contra a Droga e o Crime (UNODC), mulheres são as mais afetadas: em 2018, para cada 10 vítimas detectadas globalmente, cinco eram mulheres adultas e duas eram meninas. Os migrantes também constituem um grupo particularmente vulnerável. 

Segundo o bispo auxiliar de Porto Alegre (RS) e membro da Comissão Episcopal Pastoral Especial para o  Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Adilson Pedro Busin, o tráfico humano parece estar longe da realidade brasileira. Porém, está presente na realidade do país manifestado no trabalho escravo, na mendicância, no tráfico para a exploração sexual e de órgãos.

Ele reforça que o papel da Igreja, em resposta ao pedido do Papa Francisco, é trabalhar no alerta, na conscientização e no enfrentamento ao tráfico, afirmou.

Ações na Igreja no Brasil

Dom Adilson convida as comunidades para ficarem atentas às TVs católicas e redes sociais e a se somarem nesta corrente de enfrentamento ao tráfico. A ideia é que as comunidades, paróquias e organizações imprimam o cartaz – preparado para a ocasião – e o fixem em seus murais.

Além do cartaz lembrar a data, os representantes da Comissão convidam às comunidades a organizarem um momento de reflexão no dia 30 de julho, Dia mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

O cartaz está disponível em formato PDF nos tamanhos A3 e A4, no site da CNBB. 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo