window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Comunhão

Bispo afirma: a própria guerra na Ucrânia nos convida à sinodalidade

“Neste momento, não podemos deixar de dar testemunho cristão da caridade, escutando e acolhendo não só com as palavras, mas com o coração e com as obras”, diz Dom Nuno Bràs

Da redação, com Vatican News

Foto: CNA Images

O bispo da Diocese do Funchal (Portugal), Dom Nuno Brás da Silva Martins, em entrevista aos meios de comunicação da Santa Sé, sublinhou a necessidade do viver em comum e fazer um caminho de construção da unidade como um dos frutos do recente encontro da organização sobre o percurso sinodal na Europa. O bispo e Responsável da Seção das Comunicações do Conselho das Conferências dos Episcopados Europeus (CCEE). 

Dom Nuno ressaltou a guerra na Ucrânia como algo que não deva ser indiferente ao restante do mundo. Insistiu ainda que a guerra russo-ucraniana apresenta dois modos de ver o próprio mundo e a própria pessoa, que estão em confronto. “Não podemos nos habituar com a guerra, como se fosse uma coisa normal”, ressaltou.

Leia mais
.: Papa em apelo pela Ucrânia: quem faz a guerra esquece a humanidade

Em conclusão, o Prelado, afirmou que a guerra pode servir a todos como uma oportunidade concreta de se viver a sinodalidade. “Nos convida a escutar em primeiro lugar aquilo que o Espírito Santo nos pede e que nos aparece a partir do irmão que está ao nosso lado e que tem certamente algo a dizer-nos, que tem certamente algo a partilhar conosco, e que nos convida sempre a fazer caminho em conjunto”.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo