window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Aniversário de dedicação

Basílicas de Pedro e Paulo: devemos honrá-las com devoção, diz padre

Padre Robison Inácio comenta dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo — celebração acontece neste sábado, 18

Julia Beck
Da redação, com colaboração de Huanna Cruz 

Basílicas de São Pedro e São Paulo Fora dos Muros /Fotos: Arquivo Canção Nova

O aniversário de dedicação das basílicas que levam o nome dos dois grandes apóstolos Pedro e Paulo, no Vaticano, acontece neste sábado, 18. O professor licenciado da Faculdade Católica de Pouso Alegre (MG) e doutorando em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana, padre Robison Inácio de Souza Santos, conta que a data é um convite para a Igreja honrar com devoção esses dois templos sagrados.

“As duas esplendorosas edificações de pedra recordam que há uma realidade superior, feita de pedras vivas, e essa realidade é a Igreja de Jesus Cristo, formada por homens e mulheres inseridos nesse organismo vivo e dinâmico pela graça do sacramento do Batismo”, reflete.

Durante a celebração deste sábado, 18, o presbítero sublinha que oração da coleta dará a tônica para a liturgia e o sentido espiritual da festa. Assim reza a Igreja hoje: “Guiai e sustentai, Senhor, a vossa Igreja, que da pregação dos apóstolos Pedro e Paulo recebeu o primeiro anúncio do Evangelho, e fazei que pelo seu patrocínio progrida na fé e no amor até o fim dos tempos”.

A dedicação da Basílica de São Pedro foi feita pelo Papa Silvestre. O Pontífice governou a Igreja entre o ano 314 e 335. A Basílica de São Paulo foi dedicada pelo Papa Sirício. O pontificado deste Santo Padre ocorreu entre 384 e 399.

São Pedro e São Paulo

Padre Robison Inácio /Foto: Arquivo Pessoal

Ao comentar sobre os apóstolos que deram nome às duas construções, padre Robison retoma um primeiro ponto: Jesus edificou a sua Igreja sobre a rocha da confissão de fé feita pelo apóstolo Pedro, em Cesareia de Filipe (cf. Mt 16, 13-20).

Ao falar sobre Paulo, o sacerdote destaca que o santo, a partir de seu extraordinário zelo missionário, usou a sua qualificação intelectual para apregoar o Evangelho e desenvolver a doutrina cristã (cf. At 22-23).

“Os dois apóstolos são considerados colunas da Igreja em razão dos testemunhos de fé que eles deram. Além de terem gastado suas vidas na pregação do Evangelho e na fundação de Igrejas, da Ásia à Europa, os dois se tornaram colunas de sustentação por conta do testemunho dado até o derramamento de sangue na cidade de Roma, Pedro por crucifixão e Paulo por decapitação”, enfatiza.

Basílica de São Pedro

A Basílica Maior de São Pedro, no Vaticano, é uma das quatro basílicas papais de Roma e é apontada como a maior Igreja do mundo. Segundo o presbítero, a antiga Basílica foi construída pelo imperador Constantino I, no século IV, durante o pontificado do Papa Silvestre I. A construção foi feita no lugar onde havia o antigo circo do imperador Nero e sobre uma necrópole (cemitério), onde a tradição afirma ter sido sepultado o corpo do apóstolo Pedro.

“O início da construção da atual basílica se deu aos 18 de abril de 1506, durante o pontificado do Papa Júlio II, e sua conclusão se deu aos 18 de novembro de 1626, durante o pontificado do Papa Urbano VIII”, revela o sacerdote.

Basílica de São Paulo

A Basílica Maior de São Paulo Fora dos Muros também integra as quatro basílicas papais de Roma e é considerada a segunda maior Igreja do mundo. Padre Robison explica que ela está construída no local onde, segundo a tradição, o corpo do apóstolo Paulo foi sepultado após o martírio ocorrido na localidade chamada hoje de Tre Fontane (Três Fontes), não muito distante de onde se encontra a atual Basílica.

Já no século I, ele aponta que o lugar se tornou destino de peregrinação. “No século IV, o imperador Constantino I construiu uma pequena Basílica que foi dedicada aos 18 de novembro de 324, durante o pontificado do Papa Silvestre I”.

De acordo com o presbítero, com o tempo, a construção tornou-se pequena para acolher o grande número de peregrinos. Foi então que a reconstruíram durante o reinado conjunto de três imperadores Teodósio I, Graziano e Valentiniano II.

“A nova Basílica foi dedicada pelo Papa Sirício no ano de 390. Tal estrutura perdurou até 1823, quando foi destruída por um incêndio. A reconstrução foi iniciada pelo Papa Leão XII em 1825. A inteira dedicação da Basílica reconstruída se deu aos 10 de setembro de 1854 pelo Papa Pio IX”, relata.

Localização e arquitetura

Padre Robison relembra que a Basílica de São Pedro está situada na Colina do Vaticano. Já a Basílica de São Paulo está localizada na Via Ostiense, a dois 2 quilômetros das antigas muralhas aurelianas. “Daí o acréscimo da expressão ‘Fora dos Muros’ ao nome oficial da Basílica”, reitera.

Sobre o estilo arquitetônico dessas duas edificações, o sacerdote afirma que Basílica de São Pedro é renascentista e barroca, com ênfase na simetria, na proporção, na regularidade das partes, na exuberância e nos contrastes. Enquanto a Basílica de São Paulo é o neoclássico que busca retomar formas da antiguidade clássica romana e grega.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo