window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Em sua chegada a Milão, Papa pede solidariedade aos necessitados

O Papa Bento XVI chegou a Milão, na Itália, na tarde desta sexta-feira, 1,  para o 7º Encontro Mundial das Famílias. O Pontífice foi recebido pelo Arcebispo de Milão, Cardeal Angelo Scola, pelo Ministro de Cooperação Internacioal, Andrea Riccardi e por outras autoridades políticas e civis. Em seu discurso de chegada, Bento XVI se lembrou das pessoas que enfrentam alguma dificuldade e pediu que não falte a elas a solidariedade da coletividade.Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Discurso de Bento XVI na Praça Duomo em Milão
.: NA ÍNTEGRA: Programa da visita do Papa a Milão
.: Mensagem do Papa Bento XVI para o Encontro Mundial em Milão
.: FOTOS do evento no Flickr

Muitos fiéis católicos do mundo inteiro que participam do encontro também estavam no aeroporto para saudar o Santo Padre. Já na Praça Duomo, às 17h30 (horário local), Bento XVI saudou todos eles agradecendo o acolhimento.  “Estou contente de estar hoje aqui em meio a vós e agradeço a Deus, que me ofereceu a oportunidade de visitar vossa ilustre cidade”, disse.

Além de agradecer todos os presentes, Bento XVI se lembrou dos mais necessitados, dirigindo um pensamento afetuoso aos desempregados, doentes e demais que passam por alguma dificuldade. “Que não falte a nenhum desses nossos irmãos e irmãs a solidariedade constante da coletividade”. Quanto a isso, o pontífice parabenizou a diocese de Milão pelo trabalho que vem realizando para atender as famílias mais atingidas pela crise econômica e financeira.

O Papa também citou a riqueza cultural e de fé que perpassa a história dos fiéis de Milão e que, agora, cabe aos herdeiros dessa riqueza transmitir às gerações futuras o patrimônio espiritual dessa tradição. Ao citar esse aspecto cultural, Bento XVI reiterou que se faz necessária a inserção de “fermento evangélico” nesse contexto.

“A fé em Jesus Cristo, morto e ressuscitado por nós, vivo em nosso meio, deve animar todo o tecido da vida, pessoal e comunitária, privada e pública, assim permitir um estável e autêntico bem estar, a partir da família, a ser redescoberta como principal patrimônio da humanidade, coeficiente e sinal de uma verdadeira e estável cultura a favor do homem”, enfatizou.

Leia mais
.: Família que reza e vai a Missa junto é fortalecida

.: Bispo explica significado do trabalho para a família
.: Famílias reunidas em Milão são sinal profético, afirma cardeal

         

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo