28 de fevereiro

Há um ano, Bento XVI deixava a Sé de Pedro

“Sou simplesmente um peregrino que inicia a última etapa da sua peregrinação nesta terra”, afirmou Bento XVI momentos antes de deixar a Sé Vacante

Liliane Borges
Da Redação

Há um ano Bento XVI deixava a Sé de Pedro

Momento em que Bento XVI despede-se do fiéis em Castel Gandolfo / Foto: L´Osservatore Romano

Há um ano, o Papa Bento XVI deixava a Sé de Pedro Vacante e retirava-se para uma vida dedicada à oração e à reflexão. Após despedir-se dos membros da Casa Pontifícia, dos colaboradores mais próximos, Ratzinger deixou o Vaticano em direção a Castel Gandolfo, onde permaneceu por alguns meses até mudar-se para o convento Mater Ecclesiae, residência atual.

Com  ritos desconhecidos pelos fiéis, uma vez que há 600 anos nenhum Papa renunciava, Bento XVI entregou o anel de pastor, trocou as vestes papais por um hábito branco e quebrou o selo papal.

O mundo se emocionou com o toque dos sinos no Vaticano que anunciavam exatamente às 20h (horário de Roma) que a Sé de Pedro estava vacante e a Igreja passava a ter um Papa emérito.

Momentos antes, ao se despedir da multidão que estava diante do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, de modo improvisado, o Papa alemão dirigiu breves palavras:

“Obrigado! Obrigado a todos vós!

Queridos amigos, sinto-me feliz por estar convosco, rodeado pela beleza da criação e pela vossa simpatia, que me faz muito bem. Obrigado pela vossa amizade, o vosso afeto! Sabeis que este meu dia é diferente dos anteriores. Já não sou Sumo Pontífice da Igreja Católica: até às oito horas da noite, ainda o sou; depois já não. Sou simplesmente um peregrino que inicia a última etapa da sua peregrinação nesta terra. Mas quero ainda, com o meu coração, o meu amor, com a minha oração, a minha reflexão, com todas as minhas forças interiores, trabalhar para o bem comum, o bem da Igreja e da humanidade. E sinto-me muito apoiado pela vossa simpatia. Unidos ao Senhor, vamos para diante a bem da Igreja e do mundo. Obrigado!

Agora, de todo o coração, dou-vos a minha Benção: “Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo”.

Obrigado! Boa noite! Obrigado a todos vós!”

Após um ano de sua renúncia, o Papa emérito teve pouco aparições públicas, sendo a última delas,  na Celebração do Consistório, no  sábado, 22, na Basílica de São Pedro. Foi a primeira participação de Bento XVI em uma Celebração oficial.

Francisco e Bento XVI

Francisco em visita a Bento XVI no Convento Matter Ecclesia / Foto: L´osservatore Romano

Em uma carta enviada ao teólogo suíço Hans Küng, em janeiro passado, Ratzinger afirma que sua  “única e última tarefa é sustentar com a oração o pontificado de Francisco”. O Próprio Papa Francisco, na entrevista durante o voo de retorno do Brasil em julho passado,  destacou a sua  amizade com  Bento XVI.

“Há uma coisa que qualifica a minha relação com Bento: eu o amo muito. Sempre o amei. Para mim, ele é um homem de Deus, um homem humilde, um homem que reza. Fiquei tão feliz, quando ele foi eleito Papa. Mesmo quando renunciou, foi para mim um exemplo de grandeza!”, concluiu Francisco.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo