window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

MEIO AMBIENTE

Bispos falam da Campanha Junho Verde, iniciativa da CNBB

Mês temático é motivado pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, e nasceu de proposta encaminhada pela conferência episcopal ao Congresso Nacional

Da Redação, com CNBB

Foto: Reprodução CNBB

Pela primeira vez, será comemorada, no Brasil, a Campanha Junho Verde. O período é motivado pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado anualmente em 5 de junho. O mês temático foi instituído pela Lei 14.393, em 2022, que também alterou a Política Nacional de Educação Ambiental.

A iniciativa partiu da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A lei estabelece que a Campanha Junho Verde seja promovida pelo poder público em todos os âmbitos, em parceria com escolas, universidades, empresas públicas e privadas, igrejas, comércio, entidades da sociedade civil, comunidades tradicionais e populações indígenas.

O objetivo da mobilização é “desenvolver o entendimento da população acerca da importância da conservação dos ecossistemas naturais e de todos os seres vivos e do controle da poluição e da degradação dos recursos naturais, para as presentes e futuras gerações”.

Leia mais
.: Papa: substituir a cultura do descarte pela cultura do respeito e do cuidado

.: Papa: cuidar da casa comum para que o amanhã ainda seja possível

Na época, o arcebispo de Belo Horizonte (MG), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, declarou que este “é um passo importante na consolidação do entendimento de que todos devem buscar o desenvolvimento integral, que considera a essencialidade do equilíbrio na Casa Comum”. Ele era o presidente da CNBB e foi o condutor da proposta ao Congresso Nacional.

Bispos falam sobre a campanha

Em mensagem publicada neste mês, o bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA) e membro da Comissão Especial sobre a Mineração e Ecologia Integral, Dom Vicente de Paula Ferreira, convidou todos ao cuidado com a Casa Comum e os povos que nela habitam.

“Há tantos gritos que precisam ser escutados potencializados e na coletividade respondidos com ações concretas. Esta pode ser uma oportunidade de escutar, de modo especial, as muitas vozes silenciadas em meio à devastadora emergência climática em que estamos imersos”.

Já o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da CNBB, Dom Ricardo Hoepers, incentiva as comunidades católicas do Brasil a participarem da Campanha. “É responsabilidade de todos nós mobilizarmos as nossas comunidades, por isso, você, na sua paróquia, na sua diocese, fale com seu prefeito, com seu governador”, indicou o religioso.

“A lei está aí para ser implementada com força, com criatividade. Mas você também pode mobilizar a sua comunidade, as Igrejas, as escolas, as universidades, o comércio, todo o povo de Deus para que juntos possamos nos responsabilizar pela educação ambiental e cuidar da casa comum”, exortou Dom Ricardo.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo