Quem não respeita os avós não tem memória nem futuro, diz Papa

Francisco enfatizou que idosos são tesouros da sociedade, embora sejam, muitas vezes, abandonados

Da Redação, com Rádio Vaticano

Quem não respeita os avós não tem memória nem futuro, diz Papa

Francisco dedicou a homilia de hoje para uma reflexão sobre a importância dos idosos / Foto: L’Osservatore Romano

Um povo que não respeita os avós está sem memória e também sem futuro. Este foi o ensinamento do Papa Francisco em Missa celebrada, nesta terça-feira, 19, na Casa Santa Marta, quando destacou a importância de respeitar os idosos e cuidar deles.

As reflexões vieram a partir do exemplo de Eleazar, figura bíblica do Livro dos Macabeus (Primeira Leitura do dia). Já idoso, Eleazar preferiu o martírio em vez de salvar sua vida com hipocrisia, deixando um grande exemplo não só para os jovens, como para toda a nação. O Santo Padre destacou a coerência de fé deste homem, o legado verdadeiro que ele deixou.

“Nós vivemos em um tempo no qual os idosos não contam. É ruim dizer isto, mas eles são descartados, porque dão trabalho. Os idosos são aqueles que nos trazem a história, que nos trazem a doutrina, a fé e nos dão um legado. São aqueles que, como um bom vinho envelhecido, têm força dentro de si para nos dar uma herança nobre”, disse.

Francisco afirmou ainda que os avós são um tesouro, de forma que a memória desses antepassados leva o homem a imitar sua fé. Ele defendeu que a sabedoria deles é uma herança que se deve receber. “Um povo que não cuida dos avós, um povo que não respeita os avós não tem futuro, porque não tem memória”.

Ao fim da homilia, o Santo Padre recordou, então, tantos idosos que estão em casas de repouso, abandonados, mas que são “tesouro da sociedade”. “Peçamos, hoje, a graça aos velhos santos – Simeão, Ana, Policarpo e Eleazar – de cuidar, escutar e venerar os nossos antepassados, os nossos avós”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo