window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Audiência

Papa às Confrarias: evangelicidade, eclesialidade e missão

Francisco recebeu os membros da Confederação das Confrarias das dioceses da Itália, nesta segunda-feira, 16, no Vaticano

Da redação, com Vatican News

Foto: Stefano Costantino / SOPA Images via Reuters

Na manhã desta segunda-feira, 16, o Papa Francisco recebeu os membros da Confederação das Confrarias das Dioceses da Itália. Após as saudações iniciais aos presentes, o Pontífice recordou que a Confederação foi fundada em 2000 e vem trabalhando para acolher, apoiar e coordenar a presença muito rica e variada das Confrarias nas Dioceses da Itália.

Ao citar o próximo Jubileu de 2025, cujo lema é “Peregrinos da Esperança”, o Papa disse que a Confederação das Confrarias é uma realidade muito significativa para esta preparação e para a celebração. Antes de tudo, devido à presença capilar em todo o país e ao número de pessoas que envolve, com cerca de três mil e duzentas Confrarias registradas – e tantas existentes, mas não registradas – e dois milhões de membros, a estes deve ser acrescentada a comunidade ampliada de familiares e amigos que, através deles, se unem às suas atividades.

“É um quadro impressionante, que traz à mente o que o Concílio Vaticano II diz sobre a natureza e a missão dos leigos na Igreja, ou seja, que eles ‘são chamados por Deus para contribuir, quase de dentro como fermento, para a santificação do mundo’ (LG, 31)”

Caminhem como fazem nas procissões

O Santo Padre encorajou cada membro das Confrarias a cultivar com compromisso criativo e dinâmico sua vida associativa e sua presença caritativa, que se baseiam no dom do Batismo e que levam a um caminho de crescimento sob a guia do Espírito Santo.

“Deixem-se animar pelo Espírito e caminhem: como fazem nas procissões, façam-no em toda a sua vida comunitária”, recomendou o Pontífice. Em seguida, Francisco disse que gostaria de convidar os presentes a articularem o seu caminho em três linhas fundamentais: evangelicidade, eclesialidade e missionariedade. Resumindo da seguinte forma: caminhar nos passos de Cristo; caminhar juntos; caminhar anunciando o Evangelho.

Caminhar nos passos de Cristo

“Antes de mais nada, caminhar nos passos de Cristo. Exorto vocês a cultivarem a centralidade de Cristo em suas vidas, na escuta diária da Palavra de Deus, organizando e participando regularmente dos momentos de formação, na frequência assídua aos Sacramentos, em uma intensa vida de oração pessoal e litúrgica”, orientou o Santo Padre.

Caminhar juntos

Sobre a segunda dimensão, “caminhar juntos”, o Papa recordou que a história das Confrarias oferece à Igreja uma experiência secular de sinodalidade, que se expressa através de instrumentos comunitários de formação, de discernimento e de deliberação, e através de um contato vivo com a Igreja local, Bispos e Dioceses.

O Pontífice desejou ainda que os conselhos e assembleias das Confrarias sejam sempre e sobretudo lugares de escuta de Deus e da Igreja, e de diálogo fraterno, afirmando que somente assim eles poderão ser realidades vivas e encontrar novas formas de serviço e evangelização.

Caminhar anunciando o Evangelho

Sobre a terceira dimensão do caminho, o Papa disse: “caminhar anunciando o Evangelho, testemunhando a sua fé e cuidando de seus irmãos, especialmente das novas pobrezas de nosso tempo, como muitos de vocês já demonstraram neste tempo de pandemia”. Acrescentando em seguida:

“A história das Confrarias tem um grande patrimônio carismático. Não percam essa herança! Mantenham vivo o carisma do serviço e da missão, respondendo com criatividade e coragem às necessidades do nosso tempo.”

Evangelicidade, eclesialidade e missão

Por fim, Francisco destacou que a evangelicidade, a eclesialidade e a missão são as três palavras que ele confiava aos membros das Confrarias. “Gostaria de concluir renovando o convite a vocês para serem missionários do amor e ternura de Deus […] missionários da misericórdia de Deus, que sempre nos perdoa, sempre espera por nós e nos ama tanto”!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo