window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Discurso no Vaticano

Fundamentalismo cria desertos culturais e espirituais, diz Papa

Papa esteve reunido hoje com comissão para o diálogo entre católicos e ortodoxos; no discurso, ênfase para o ecumenismo de sangue

Da Redação, com Rádio Vaticano

O ecumenismo de sangue foi o tema do discurso do Papa Francisco ao receber na manhã de sexta-feira, 27, no Vaticano, os membros da Comissão mista Internacional para o diálogo teológico entre a Igreja Católica e as Igrejas Ortodoxas Orientais.

“Muitos de vocês pertencem a Igrejas que assistem cotidianamente à expansão da violência e a atos terríveis, perpetrados pelo extremismo fundamentalista”, disse o Pontífice, que foi enfático ao criticar as situações que geram sofrimento trágico, como os contextos de pobreza, injustiça e exclusão social gerados por interesses partidários e conflitos antigos. Tais situações geraram, segundo o Papa, condições de vida miseráveis, desertos culturais e espirituais nos quais é fácil manipular e instigar ao ódio. Neste cenário, os cristãos são chamados a oferecer juntos a paz que vem do Senhor a um mundo ferido e dilacerado.

A exemplo do que escrevia São Paulo, acrescentou o Papa, o sofrimento de uma Igreja é o sofrimento de todas as Igrejas. “Por isso, uno-me a vocês na oração, invocando o fim dos conflitos e a proximidade de Deus às populações que sofrem, especialmente as crianças, os doentes e os idosos. De modo especial, me preocupo com os bispos, sacerdotes, consagrados e fiéis vítimas de sequestros cruéis, e todos os que foram feitos reféns ou reduzidos à escravidão”.

Em contextos onde a violência chama a violência e a violência semeia morte, a resposta dos cristãos, segundo Francisco, deve ser o puro fermento do Evangelho que, sem prestar-se às lógicas da força, faz surgir frutos de vida.

Neste esforço, os mártires indicam o caminho, concluiu o Papa. “Assim como na Igreja primitiva o sangue dos mártires foi semente de novos cristãos, que hoje o sangue de tantos mártires seja semente de unidade entre os fiéis”.

A Comissão mista Internacional para o diálogo teológico entre a Igreja Católica e as Igrejas Ortodoxas Orientais foi criada em 2003 e acaba de realizar seu 14º encontro. Em estudo, estão os Sacramentos.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo