window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Saúde

Isolamento: Especialista dá dicas de como cuidar da alimentação neste tempo

Mulheres contam como cuidam da própria alimentação e da família

Denise Claro
Da redação

O pedido das autoridades para que a população cumprisse o isolamento social, diante da pandemia do coronavírus, está prestes a completar um mês. Já não é difícil ver nas redes sociais usuários reclamando dos quilos a mais adquiridos em meio à quarentena,e, até mesmo, memes que abordem, de forma bem humorada, esta insatisfação.

Há aqueles que se propuseram a se organizarem melhor, mas por estarem em casa o tempo todo, inclusive administrando trabalho, filhos, pais idosos e as próprias ansiedades, se deixaram levar pela facilidade e praticidade na hora de escolher o que comer.

A nutricionista Flávia Marques de Castro lembra que, apesar de não haver um alimento capaz de combater o coronavírus diretamente, manter hábitos alimentares saudáveis favorece o fortalecimento do sistema imunológico como um todo.

Algumas dicas levantadas pela especialista que podem ajudar a quem quer cuidar melhor da saúde e da alimentação neste período são:

– Procure manter horários definidos para realizar as refeições. Quando ficamos muito tempo em casa, temos a tendência a deixar tudo para mais tarde e a consumir grandes quantidades de alimentos de uma só vez.

– Aproveite o tempo para saborear cada refeição com calma. Mastigue bem os alimentos e tenha atenção aos sinais de saciedade que o seu corpo dá.

– Envolver as crianças no preparo das refeições é uma boa estratégia para mantê-los ocupados nesse período de quarentena. Também é um bom momento para reforçar hábitos de higiene, desenvolver habilidades e criar novas atividades. Que tal um piquenique na sala? Ou um bolo especial para assistir um filme? Aproveite as várias receitas na internet para serem feitas em conjunto.

– Mantenha a variedade da alimentação. Tenha todos os grupos alimentares em seu prato como as carnes, laticínios, grãos integrais, sementes, hortaliças e frutas. As frutas e hortaliças ganham destaque em seus componentes nutricionais que fortalecem a imunidade, como a Vitamina C e outros compostos bioativos. Invista em sucos e preparações com eles e tenha um tipo de fruta e hortaliça pelo menos 3 vezes/dia.

– Evite alimentos industrializados com excesso de açúcar, conservantes e sódio como sopas prontas, congelados e enlatados, pois esses alimentos trazem sobrecarga calórica e falta de nutrientes ao organismo, deixando a pessoa mais vulnerável a possíveis doenças.

– Às vezes, dá a aquela vontade de consumir um docinho ou uma receita hipercalórica. Pode fazer! É importante que tenhamos momentos de prazer também durante esse período. Só não vale virar regra. Escolha no máximo dois dias da semana e prepare aquela receita para matar a vontade. E divida com a família toda, para que não fique sobrando e tenha vontade de comer a toda hora.

– Ingira bastante água. Não esqueça a hidratação nesse período. O adequado estado de hidratação ajuda no funcionamento intestinal, a evitar dores de cabeça e até na recuperação dos possíveis sintomas de gripes e resfriados. Se for preciso, utilize um aplicativo de celular para lembrá-lo de ingerir água regularmente.

– Higienize bem os alimentos: Alimentos crus ou com casca devem ser bem higienizados. Lave-os e deixe de molho em uma solução de hipoclorito de sódio (1 colher de sopa de água sanitária diluída em 1 litro de água) ou produtos específicos para limpeza de alimentos por 20 minutos e enxágüe em seguida.

Pequenas e valiosas escolhas

Gisele Araújo com o esposo Fabrício e as filhas, Manuela e Mariah.

A dentista Gisele Araújo está em casa com o esposo Fabrício e as duas filhas, Manuela e Mariah, de 11 e 10 anos. Gisele conta que, no início foi mais difícil, mas agora, ela e a família, já conseguiram se adaptar ao ritmo, acordando no mesmo horário, fazendo atividades físicas em casa, com as atividades da escola e do trabalho, além da alimentação:

“Sempre busquei oferecer alimentos saudáveis. Nos primeiros dias de confinamento, pelo estresse gerado, não me preocupei tanto com isso, comemos mais guloseimas do que o normal, confesso. Após uns 3 dias, ao fazer a lista de compras, priorizei alimentos saudáveis, principalmente os que ajudam na nossa imunidade como inhame e frutas cítricas. Estou aproveitando esse tempo em casa para diversificar mais os legumes com as meninas. A oportunidade também de fazermos todas as refeições em família tem sido muito gratificante.”

Gisele ressalta que, a criatividade é o segredo para conseguir o sucesso na alimentação e na adesão de hábitos mais saudáveis:

“É preciso inventar, diversificando o prato e o preparo dos alimentos. Alguns legumes, além de cozidos, tenho preparado grelhado na manteiga; as carnes, assadas com tempero e azeite, ou fazendo coisas diferentes como hambúrguer caseiro. Ofereço sempre frutas, sopa. Se for fazer uma pipoca, faço sem óleo. Quando reclamam de provar algo novo, reforço a importância para a saúde do que estamos comendo.”

A psicóloga Zezé Tomé está sozinha em casa com o esposo, Jorge. Ela conta que, devido ao trabalho, em muitos dias ela tem pedido marmitas fit em casa, mas, vez ou outra, prepara os próprios alimentos:

“Estou buscando na quarentena comer proteínas e legumes, alguns carboidratos menos calóricos: batata doce e algumas verduras como brócolis, couve flor. Nos intervalos tomo café ou chá, às vezes, amendoim sem casca. Faço omeletes com queijo padrão light ou como ovos estrelados na manteiga.”

Zezé tem atendido aos pacientes de forma on-line e, por isso, permanece muitas horas sentada. Ela conta que tem, além da alimentação, lançado mão dos exercícios neste tempo para não sentir dores.

“Tenho feito exercícios físicos todos os dias, acompanhando por aplicativo on-line. E, também, 2 ou 3 vezes na semana desço numa hora em que vejo que tem pouca gente no pátio do condomínio em que moro e faço a minha caminhada de 30 minutos.”

A psicóloga avalia os perigos de não se ter uma disciplina neste período de isolamento social e dá dicas para viver bem, mesmo em meio à pandemia:

“Tenho visto que o confinamento tem feito muita gente se perder. É preciso ter rotina. Buscar notícias e se organizar sem se prender ao sensacionalismo. Muitos estão com medo, ansiosas e depressivas. Tudo isso só contribui para baixar a imunidade. Diante de um inimigo desconhecido, é preciso tentar ao máximo estar saudável e alicerçado na fé. Essa tríade: boa alimentação, exercício físico e oração são, na minha opinião, as melhores armas; e tenho tentado usá-las aqui.”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo