Missa do Galo

Em Jesus, Deus se fez menino, para ser abraçado por nós, diz Papa

Celebração da Missa da noite de Natal aconteceu na Basílica de São Pedro

Denise Claro
Da redação

Papa Francisco, na Missa da noite de Natal, no Vaticano, nesta terça-feira, 24./ Foto: Reprodução VaticanMedia

O Papa Francisco presidiu nesta terça-feira, 24, a missa da noite do Natal do Senhor, no Vaticano, como de costume. Após a procissão de entrada, foi cantada a Kalenda, o anúncio do nascimento de Jesus, e o Santo Padre beijou a imagem do Menino Jesus colocada diante do altar. 

Em sua homilia, Francisco falou sobre a Luz que brilhou na noite de Natal.

“Na noite da terra, apareceu uma luz vinda do Céu. Que significa esta Luz? É a graça de Deus portadora de Salvação para todos os homens. E o que é esta graça? É o amor divino, o amor que liberta do mal. Nesta noite foi mostrado o amor de Deus, em Jesus, pequeno, para ser amado por nós. Em Jesus, Deus se fez menino, para poder ser abraçado por nós.”

O Papa lembrou que em Jesus, a graça é completamente gratuita:

“Enquanto aqui na terra tudo parece ser um ‘dar para receber’, um negócio, em Deus, é grátis. Nada fizemos para merecer, e nem poderíamos. Nesta noite, nos damos conta que, sem sermos dignos da Altura de Deus, Ele veio a nós. O natal lembra que Deus continua a amar todo homem, mesmo o pior. A mim e a ti…Deus não te ama porque te comportas bem. Deus ama e basta. Podes ter ideias erradas, mas o Senhor não desiste de te querer bem. Quantas vezes pensamos que Deus será bom se formos bons, e que nos castigará se formos maus. Mas não é assim. O amor de Deus é fiel, e paciente. Esse é o Dom que encontramos no Natal.”

Francisco afirmou que na noite em que a Graça de Deus se manifestou, o ser humano encontra, na Beleza de Deus, a sua própria beleza:

“Na saúde e na doença, felizes ou tristes, sempre parecemos lindos aos seus olhos. Somos belos. É uma beleza que está no nosso ser.”

A grande alegria anunciada aos pastores é verdadeiramente a todo o povo. Naqueles pastores estão também as fragilidades do povo de Deus.

“Deus nos chama, porque nos ama. E nas noites da vida, Deus nos diz: Coragem. Nessa noite o amor venceu o medo. A luz gentil de Deus venceu as trevas da arrogância humana.”

O Papa ressaltou que, diante desta Graça, só resta ao ser humano acolher o dom de Deus. Antes de ir a procura de Deus, se deixar procurar por Ele. Não partir das capacidades humanas, mas da Sua Graça, porque Ele é o Salvador.

“Fixemos o olhar no menino e deixemo-nos amar por Ele. Aquilo que está torto na vida, não poderá servir-nos mais de justificativa. Não há desculpas. Deixo-me amar por Deus? Abandono-me ao Amor que vem salvar-me? Acolher a Graça é saber agradecer. Hoje é o dia certo para nos aproximarmos da manjedoura e dizermos: Obrigado! Obrigado! E depois tornar-nos dom, dar sentido à nossa vida. Deus não esperou sermos bons para merecê-Lo. Mas também não esperemos que os outros sejam bons para amarmos os outros. Sejamos nós, bons com os outros. Esta graça consiste em preservar essa gratuidade.”

Por fim, o pontífice concluiu:

“Se as tuas mãos te parecem vazias, esta é a tua noite. Manifestou-se a graça de Deus para resplandecer na sua vida. Brilhará em ti a Luz do Natal.”

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo
Aplicativo Canção Nova