window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Ásia Central

Assembleia elege presidente da Conferência dos Bispos da Ásia Central

“Embora os católicos desta região sejam uma minoria, isto não diminui o papel que a Igreja desempenha na sociedade”, afirmou o cardeal Luis Antonio Tagle durante encontro

Da redação, com Agência Fides

Igreja Católica na Ásia Central – Foto: Freepik por homrak

Entre os dias 26 e 30 de abril em Nursultan, no Casaquistão, houve o primeiro encontro dos bispos da Ásia Central. Na ocasião, por meio de voto secreto, Dom José Luis Mumbiela Sierra, bispo da Diocese da Santíssima Trindade de Almaty, no Cazaquistão, foi eleito presidente da Conferência dos Bispos Católicos da Ásia Central durante os próximos quatro anos.

As funções de vice-presidente e secretário geral serão exercidas respectivamente por Dom Jerzy Maculewicz, administrador apostólico do Uzbequistão, e Dom Evgeny Zinkovsky, bispo auxiliar da Diocese de Karaganda, no Cazaquistão.

Inaugurada em 26 de abril passado, a primeira assembleia da recém-criada Conferência, que terminou no sábado, 30, contou com a participação dos bispos do Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão, Mongólia e Afeganistão.

O prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, cardeal Luis Antonio Tagle, também participou à distância através de uma conexão on-line diretamente da Cidade do Vaticano.

Diretrizes para a conferência

O cardeal apontou alguns caminhos diretivos para os trabalhos da nova Conferência. Entre eles está o desenvolvimento de relações amigáveis com outras religiões, a formação constante e adequada de sacerdotes, irmãs e leigos que realizam catequese em paróquias.

Outros aspectos fundamentais da ação é “a tradução e publicação de livros católicos, livros de oração e manuais nos idiomas nacionais, porque isto pode contribuir para a penetração do Evangelho em vários setores da sociedade, para o processo sinodal, o trabalho com jovens e famílias e a implementação de projetos da Caritas”.

 

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo