window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Última etapa

Papa despede-se da Turquia encontrando jovens refugiados

Francisco levou mensagem de esperança a cerca de 100 jovens refugiados assistidos pelos salesianos

Da Redação, com Rádio Vaticano

O Papa Francisco concluiu, na tarde deste domingo, 30, sua Viagem Apostólica à Turquia, a sexta viagem internacional de seu pontificado. Os três dias do Santo Padre no país de maioria muçulmana tiveram caráter ecumênico e inter-religioso. O avião que levou o Pontífice de volta a Roma aterrissou por volta das 19h locais (16h em Brasília).

Acesse
.: Todas as notícias sobre a viagem do Papa à Turquia

A última etapa da viagem do Papa Francisco à Turquia foi o encontro com cerca de 100 jovens refugiados assistidos pelos salesianos. O encontrou aconteceu na Catedral do Espírito Santo, em Istambul, devido à chuva. Os jovens, provenientes da Turquia e de vários países do Oriente Médio e da África, cantaram para o Papa em espanhol, árabe e inglês. Antes de dirigir-lhes algumas palavras, Francisco – bastante comovido – deu a mão para cada um dos que haviam falado.

Ao saudar os jovens, muitos deles refugiados e deslocados, o Papa expressou sua participação em seus sofrimentos. “Espero que esta minha visita, com a graça do Senhor, possa dar-vos um pouco de consolação na vossa difícil situação. Esta é o triste resultado de conflitos exacerbados e da guerra, que é sempre um mal e nunca constitui a solução dos problemas, pelo contrário, cria outros”, disse ele.

Ao falar das condições degradantes em que os refugiados são obrigados a viver, o Santo Padre lançou um apelo para uma “maior convergência internacional que tenha em vista resolver os conflitos que ensanguentam as vossas terras de origem, contrastar as outras causas que impelem as pessoas a deixar a sua pátria e promover as condições que lhes permitam permanecer ou regressar”.

O Papa agradeceu pelo trabalho das numerosas organizações em favor dos refugiados e expressou “vivo reconhecimento” às autoridades turcas pelo grande esforço realizado na assistência aos deslocados, especialmente sírios e iraquianos, esperando que não falte o necessário apoio também da comunidade internacional.

“Queridos jovens, não desanimeis! Com a ajuda de Deus, continuai a esperar num futuro melhor, apesar das dificuldades e obstáculos que estais a enfrentar agora”, concluiu Francisco, garantindo suas orações para que Deus inspire os que ocupam cargos de responsabilidade a promover a justiça, a segurança e a paz sem hesitação e de modo verdadeiramente concreto.

O Santo Padre deixou a Catedral ao som do cântico dos jovens. Antes de retornar a Roma, o Pontífice visitou o Patriarca Armênio de Constantinopla, Mesrob Mutafian, gravemente enfermo e internado no Hospital armênio São Salvado, em Istambul.

Francisco partiu da Turquia por volta das 17 horas, horário local. No Aeroporto Internacional Atatürk de Istambul, ele se despediu das autoridades locais, do Patriarca Ecumênico e dos membros da Conferência episcopal Turca.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo