Audiência

Toda terra é ‘terra de missão’, diz Papa aos Oblatos

Para o Pontífice, toda terra hoje é ‘terra de missão’, e cada dimensão do ser humano é terreno de missão, que aguarda o anúncio do Evangelho

Da redação, com Rádio Vaticano

O Papa Francisco recebeu em audiência no final da manhã desta sexta-feira, 7, cerca de 100 participantes do Capítulo Geral dos Oblatos de Maria Imaculada. A Congregação celebra este ano os 200 anos de fundação por obra do santo francês Eugênio de Mazenod.

“Este jubileu, por uma feliz e providencial coincidência, se insere no Jubileu da Misericórdia”, disse o Papa, recordando que os Oblatos nasceram de uma experiência de misericórdia, que deve permanecer “sempre o coração do compromisso evangelizador dos missionários”.

Francisco constatou que a Igreja está vivendo, assim como todo o mundo, uma época de grandes transformações. Portanto, “necessita de homens que levem no coração o mesmo amor por Jesus Cristo que habitava no coração do jovem Eugênio de Mazenod, e o mesmo amor incondicional pela Igreja, que se esforça em ser sempre mais casa aberta. “É importante trabalhar por uma Igreja que seja para todos, pronta a acolher e acompanhar!”, disse.

Para o Pontífice, toda terra hoje é ‘terra de missão’, e cada dimensão do ser humano é terreno de missão, que aguarda o anúncio do Evangelho. O campo da missão hoje, prosseguiu Francisco, parece alargar-se todos os dias, abraçando sempre novos pobres, homens e mulheres com a face de Cristo que pedem ajuda, consolação e esperança nas situações mais desesperadas da vida.

Falando do Capítulo dos Oblatos, o Papa fez votos de que esta experiência seja um estímulo para um novo ímpeto missionário, ponto de partida para novos horizontes, para encontrar novos pobres.

“É necessário buscar respostas adequadas, evangélicas e corajosas aos interrogativos dos homens e das mulheres do nosso tempo. Por isso, é preciso olhar o passado com gratidão, viver o presente com paixão e abraçar o futuro com esperança”, disse Francisco.

Ele concluiu pedindo a Deus que a Congregação, ao entrar no terceiro século de vida, possa escrever novas páginas “evangelicamente fecundas”, como fizeram seus antepassados, inclusive com o sangue.

“Vocês são Oblatos de Maria Imaculada. Que este nome, definido por Santo Eugênio ‘um passaporte para o Céu’, seja para vocês empenho constante na missão”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo