Dom Orani é o novo cardeal brasileiro

Francisco preside cerimônia de criação dos novos cardeais

A cerimônia de criação dos novos cardeais contou ainda com a presença do Papa emérito Bento XVI

Da redação, com Rádio Vaticano

Bento XVI participa da cerimônia para novos cardeais

Papa emérito participa da cerimônia para criação dos novos cardeais. FOTO: Reprodução/CTV

Com a presença do Papa emérito Bento XVI, o Papa Francisco presidiu neste sábado, 22, o primeiro consistório de seu pontificado, para a criação de 19 cardeais, incluindo 16 eleitores que poderão participar dos próximos eventuais conclaves.

Na homilia, o Papa Francisco disse aos novos cardeais: “a Igreja precisa de vós, da vossa colaboração e, antes disso, da vossa comunhão, comunhão comigo e entre vós”.

“A Igreja precisa da vossa coragem, para anunciar o Evangelho a tempo e fora de tempo, e para dar testemunho da verdade. A Igreja precisa da vossa oração pelo bom caminho do rebanho de Cristo; oração que é, juntamente com o anúncio da Palavra, a primeira tarefa do Bispo. A Igreja precisa da vossa compaixão, sobretudo neste momento de tribulação e sofrimento em tantos países do mundo”, prosseguiu.

Neste contexto, o Papa pediu proximidade espiritual às comunidades eclesiais e a todos os cristãos que sofrem discriminações e perseguições.

“A Igreja precisa da nossa oração em favor deles, para que sejam fortes na fé e saibam reagir ao mal com o bem. E esta nossa oração estende-se a todo o homem e mulher que sofre injustiça por causa das suas convicções religiosas”, disse o Pontífice.

Depois, Francisco afirmou que a Igreja precisa deste novos cardeais como homens de paz. “Precisa que façamos a paz com as nossas obras, os nossos desejos, as nossas orações: por isso invocamos a paz e a reconciliação para os povos que, nestes tempos, vivem provados pela violência e a guerra”.

Francisco preside cerimônia de criação dos novos cardeais

Dom Orani faz sua profissão de fé e o juramento de obediência ao Papa Francisco e seus sucessores. FOTO: Reprodução/CTV

Após a homilia e um profundo silêncio de recolhimento, o Papa Francisco procedeu à leitura da fórmula de criação e proclamou solenemente os nomes dos novos cardeais, para os unir com “um vínculo mais estreito à Sé de Pedro”.

Em seguida, os novos cardeais fizeram a profissão de fé e o juramento de fidelidade e obediência a Francisco e seus sucessores. Um a um ajoelharam-se aos pés do Papa, para dele receberem o barrete cardinalício, “sinal da dignidade do cardinalato”, significando que todos devem estar prontos a comportar-se “com fortaleza, até à efusão do sangue”, como refere o ritual.

O Papa entregou depois aos novos cardeais o respectivo anel, para que se “reforce o amor pela Igreja”. Em seguida, foi atribuído a cada cardeal uma igreja de Roma (título ou diaconia) – simbolizando a “participação na solicitude pastoral do Papa” na cidade -, recebendo ainda a bula de criação cardinalícia, momento selado por um abraço de paz.

Dom Orani_cardeal

Dom Orani recebe o barrete e o anel cardinalício. FOTO: Reprodução/CTV

O brasileiro Dom Orani João Cardeal Tempesta, arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, recebeu o título da igreja de Santa Maria Mãe da Providência, em Monte Verde, próxima ao Vaticano.

Na tarde de hoje, entre as 16h30 e as 18h30, têm lugar as visitas de cortesia aos novos cardeais, distribuídos por diversos locais do Palácio Apostólico do Vaticano e da sala Paulo VI.

Neste domingo, 23, o Papa presidirá à Missa com os novos cardeais, a partir das 10h, também na Basílica de São Pedro.

Com os novos purpurados, o Colégio Cardinalício passa a ter 218 cardeais vindos de 68 países (53 com cardeais eleitores).

No final da celebração, Francisco foi saudar o Papa emérito Bento XVI.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo