window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047'); window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag('js', new Date()); gtag('config', 'G-EZJ58SP047');

Itaici

Primeiro dia da 45ª Assembleia Geral

Na manhã desta terça-feira, o presidente da CNBB, Cardeal Geraldo Majella Agnelo, arcebispo de São Salvador da Bahia, presidiu a celebração de abertura da 45a. Assembleia Geral dos Bispos do Brasil.

Já no auditório Rainha dos Apóstolos, o presidente deu inícios aos trabalhos da primeira sessão do dia. O secretário-geral e arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, conduziu os trabalhos. Foram ouvidas palavras de acolhida do arcebispo de Campinas, Dom Bruno Gamberini, do diretor da Casa de Retiro da Vila Kostka, pe. Romanelli e do núncio Apostólico, Dom Lorenzo Baldisseri.

Ainda na primeira Sessão, os bispos aprovaram uma mensagem a ser enviada aos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil pela comemoração do seu dia, neste 1° de maio.

Na segunda Sessão, Dom Odilo submeteu a pauta da Assembleia que foi unanimemente aprovada. Em seguida, o presidente apresentou aos bispos um relatório em que faz uma avaliação das atividades da CNBB no último quadriênio.

Dom Geraldo elencou os principais fatos que marcaram a entidade nos últimos quatro anos. Falou das boas relações que a Conferência mantém com a Santa Sé e a Nunciatura Apostólica no Brasil. Considerou, também, suas relações com o Governo e com as várias esferas da sociedade brasileira, por meio tanto da presidência quanto do Centro de Fé e Política Dom Hélder Câmara, criado em 2004, e da Comissão Brasileira Justiça e Paz.

O presidente enumerou, ainda, as várias iniciativas pastorais desenvolvidas pela CNBB e apontou os desafios “à vida e à missão” da Igreja que ainda permanecem e que “precisam de acompanhamento constante”.

Para a parte da tarde, a pauta prevê mais duas sessões para apresentação dos relatórios das dez Comissões Episcopais Pastorais e a celebração da missa.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.

↑ topo