Papa no Brasil

Vaticano apresenta Livro Litúrgico da visita de Bento XVI ao País

O Departamento das Celebrações Litúrgicas Pontifícias apresentou hoje a viagem do Papa ao Brasil e o seu respectivo livro litúrgico, destacando o seu "particular caráter missionário".

"O amor do Papa que vem confirmar na fé os seus irmãos, o testemunho de santidade do Frei Galvão e dos crentes que nos precederam, a fé e o entusiasmo dos fiéis reunidos ao redor dos seus Bispos e do Sucessor de Pedro são sinal de esperança e de evangelização para a América Latina e o Caribe", refere o documento.

O Arcebispo Piero Marini, Mestre das Celebrações Litúrgicas, sublinhou que as celebrações "são um sinal de esperança e de evangelização".

"A Igreja Católica, discípula e missionária de Jesus Cristo, presente há cinco séculos no meio dos povos latino-americanos, quer continuar a desempenhar a missão de levar a Boa Nova da salvação a todos eles, também nas atuais circunstâncias, fortemente mudadas, que requer um novo empenho missionário de todos os batizados", assinala.

A Viagem Apostólica de Bento XVI ao Brasil decorre de 9 a 14 de Maio, por ocasião da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe. O programa da Viagem prevê a presença do Papa nas Arquidioceses de São Paulo e de Aparecida.

Em São Paulo terá lugar a Canonização do Beato Frei António de Sant’Anna Galvão e, em Aparecida, a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe.

A Santa Sé sublinha que "a Viagem Apostólica não se restringe apenas às duas arquidioceses mas abrange o Brasil inteiro, todas as comunidades eclesiais da América Latina e do Caribe e a Igreja universal".

A viagem já está em destaque na página oficial do Vaticano na Internet.

Celebrações

São Paulo

Encontro com os jovens no Estádio do Pacaembu (10 de Maio)

A celebração, que tem por tema "Jovem, discípulo e missionário de Jesus Cristo", está estruturada segundo o esquema de uma Liturgia da Palavra e enriquecida com coreografias, músicas e cantos, intervenções dos jovens e diversas orações de intercessão.

Celebração Eucarística e Canonização do Beato Frei António de Sant’Anna Galvão, no Campo de Marte (11 de Maio)

A Santa Missa e o Rito de Canonização realizam-se conforme o costume. A Petição para a Canonização é apresentada ao Santo Padre pelo Cardeal Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, D. José Saraiva Martins. Após as invocações litânicas e a fórmula de Canonização pronunciada pelo Santo Padre, tem lugar um momento de devoção popular, durante o qual as relíquias do novo Santo são levadas processionalmente ao altar. O formulário da Santa Missa é próprio do novo Santo. Na Profissão de fé, são renovadas as promessas do Batismo. Usa-se a Oração Eucarística V.

Celebração das Vésperas com os Bispos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, na Catedral Metropolitana (11 de Maio)

O texto das Vésperas é próprio do dia. No início da celebração, o Presidente da CNBB dirige uma saudação de homenagem ao Santo Padre. O discurso do Santo Padre está previsto para depois da celebração.

Aparecida

Visita e encontro com a comunidade da Fazenda da Esperança em Guaratinguetá (12 de Maio)

O encontro, que prevê diversos momentos de execuções musicais, saudações, testemunhos, apresentação de dons, será concluído com a Oração do Senhor e a Bênção do Santo Padre.

Oração do Rosário no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (12 de Maio)

No início do Rosário, o Arcebispo de Aparecida, Dom Damasceno, saúda e acolhe o Santo Padre. São meditados os Mistérios gloriosos. A meditação de cada Mistério articula-se em várias sequências: anunciação do Mistério; proclamação da Palavra de Deus; saudação festiva do coro e da assembléia à Virgem (durante o canto é trazida uma vela acesa e colocada diante da imagem de Nossa Senhora); Oração do Senhor (o Santo Padre pronuncia a primeira parte e a assembléia responde recitando a segunda parte); dez Ave-Marias (por dez vezes um fiel recita a primeira parte e a assembléia responde com a segunda parte); louvor à Santíssima Trindade (canto do Glória ao Pai); oração (um presbítero conclui a meditação do Mistério com uma oração). Terminado o canto do Salve Regina (Salve Rainha), o Santo Padre pronuncia o discurso. Segue-se a oração de entrega à Virgem, pronunciada pelo Arcebispo diocesano. O Rosário conclui-se com a Bênção Apostólica do Santo Padre.

Celebração Eucarística na praça do Santuário, por ocasião da abertura da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe (13 de Maio)

Concelebram com o Santo Padre os Bispos e os presbíteros delegados das Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe. O formulário da Missa é o próprio do VI Domingo da Páscoa. No início da celebração o Arcebispo diocesano dirige uma saudação de homenagem ao Santo Padre. Usa-se a Oração Eucarística III. A celebração se conclui com o canto do Regina Cæli e a Bênção do Santo Padre.

Celebração das Vésperas e início dos trabalhos da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, na Sala das reuniões (13 de Maio)

As Vésperas são próprias do Domingo. Depois da entrada do Santo Padre, tem lugar a entronização do Livro dos Evangelhos que presidirá as reuniões da Conferência Geral dos Bispos. No início das Vésperas, o Cardeal Presidente da Conferência Episcopal Latino-Americana dirige ao Santo Padre palavras de saudação e de boas-vindas. O discurso do Santo Padre está previsto para depois da celebração.

Comentários

comentários

↑ topo