Encontro Mundial das Famílias

Sociedade está doente por falta de estrutura familiar, diz Bispo

Em entrevista ao noticias.cancaonova.com, Dom Rafael Llano Cifuentes, bispo de Nova Friburgo (RJ), destacou a importância da família para a sociedade e apontou alguns dos objetivos da Santa Sé que através do VI Encontro Mundial das Famílias, que acontece no México de 13 a 18 de janeiro, pretende resgatar valores que se perderam no decorrer do tempo.

noticias.caocaonova.com: Dom Rafael, como representante do Brasil no VI Encontro Mundial das Famílias, o que o senhor tem a dizer sobre a escolha do México para sediar este evento?

Dom Rafael: O encontro anterior foi em Valência na Espanha, e o Papa Bento XVI quis que desta vez o México sediasse o evento, e confiou esta notícia ao cardeal Norberto Rivera que é o Cardeal primaz do país e arcebispo da cidade do México, uma cidade muito grande, considerada a maior do mundo com mais de 20 milhões de habitantes. A cidade por si mesma tem condições de reunir milhares de pessoas, além disso, o México é um país católico, apesar de ter uma representação política perseguidora. Nós vamos em uma delegação brasileira de aproximadamente 60 pessoas, composta por Bispos entre eles Dom Dimas, secretário da CNBB, Dom Antônio Augusto Dias Duarte, conselheiro Nacional da pastoral Familiar e Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro e o Dom João Petrini que é bispo auxiliar de Salvador, membro do conselho da pastoral familiar, além de algumas famílias. Nós vamos com muita alegria participar deste encontro no México.

noticias.cancaonova.com: Fale um pouco sobre O Tema do encontro: “Família formadora dos valores cristãos e humanos”.

Dom Rafael: A família é a célula base da sociedade. Se a família está doente a sociedade também em conseqüência está doente. E de fato, a sociedade está doente. Quando nos encontramos com um grande número de jovens delinqüentes, com problema, ou que partem para as drogas, é porque algo está errado, como também os meninos de rua e tanta gente por ai abandonada, indica uma falta de estrutura familiar. Já em 1997 o Papa João Paulo II escreveu um documento dizendo: "Família, torna-te aquilo que és!". A família é a portadora dos valores humanos e cristãos da sociedade, e por isso, este encontro vai trabalhar este tema.

O Papa Bento XVI, disse isto a respeito desse encontro: "dirijamos agora o olhar para o VI encontro Mundial das Famílias que acontecerá no México em janeiro de 2009. Todas as famílias cristãs do mundo olhem para esta nação que é sempre fiel a Igreja e que abrirá suas portas para as famílias do mundo. Convido as comunidades eclesiais, especialmente os grupos familiares, os movimentos e associações de famílias a prepararem-se espiritualmente para esse acontecimento de graça". Agora como a maioria dos que ouviram essas palavras não poderá participar, eu peço que rezem para que este encontro se converta em um verdadeiro foco de formação cristã para as famílias.

notícias.cancaonova.com: Esse encontro será uma resposta aos ataques que a família tem sofrido ou será uma formação para ensinar as famílias a responderem a esses ataques?

Dom Rafael: A Igreja, como eu, tem o hábito de afogar o mal na abundância do bem. Estou seguro de que os temas desenvolvidos no encontro irão expor e reafirmar todos os valores familiares como um antídoto para todos esses problemas que se levantam contra a família; não apenas será um antídoto, mas uma vitamina. Quando o organismo humano está forte, os micróbios não entram, portanto, nós temos que reforçar o corpo familiar para que os micróbios não entrem.

Eles utilizam sistemas de ataques, como marketing, a propaganda, que de certa forma são artificiais. Todo mundo sabe que a família, homem e mulher é o modelo natural de toda a família humana, o resto é invenção através das qual querem justificar coisas que infelizmente não tem justificativa. O aborto, por exemplo, é algo espantoso. Para se ter u ma idéia, só no Brasil existe mais de um milhão de abortos por ano. A cada semana morrem muito mais seres humanos do que todos os seres humanos que morreram agora na Faixa de Gaza, nos bombardeios de Israel, por exemplo. Em um ano, não tenho dúvida, de que há mais mortos do que na última guerra mundial. O aborto é um problema sério, mas a nossa proposta é que no México possamos falar de coisas positivas.

Nesse momento o que se vive é uma completa dissociação entre o que se diz crer e o modo concreto de comportar-se, portanto, o encontro propõe refletir sobre a família que deve ser a Igreja doméstica, que é chamada a educar as novas gerações nos valores humanos e cristãos. A partir do momento que cada um orientar sua vida segundo o modelo de Cristo, estará reforçando nessas famílias uma personalidade harmônica humanamente falando e firme cristianismamente falando.

notícias.cancaonova.com: Sabemos que o senhor nasceu no México. Como o senhor se sente em voltar para sua pátria para participar de encontro tão importante como este?

Dom Rafael:
É comum ouvir as pessoas dizerem, "olha, você vai matar a saudade". Eu nasci no México sim, mas me sinto brasileiro, pois cheguei aqui em 1960; sou um brasileiro de coração. Vou ao México e lá, claro, visitarei a família, irei rever alguns amigos, mas depois, volto para este que é o meu lugar.

noticias.ccancaonova.com: Dom Rafael, o senhor trabalha diretamente com as famílias aqui no Brasil. Que tipo de trabalho por esta pastoral?

Dom Rafael: A Comissão para a Vida e Família é uma comissão que funciona muito bem. Durante anos eu fui responsável por essa Comissão e posso dizer que é uma Comissão muito bem organizada que tem coordenadores em todas as regiões e em todas as dioceses. Hoje todas as dioceses do Brasil têm Pastoral Familiar que trabalha com toda família através de várias atividades, algumas mais conhecidas e outras menos conhecidas. A Semana da Família, por exemplo, é muito conhecida, o Dia do nascituro é muito conhecido, a novena da família é muito conhecida. Temos um cursilho que chama ‘Hora da família’, que começou no Rio de Janeiro quando eu fui responsável pelo encontro mundial das famílias com o Papa. Nós fizemos um estudo chamado de ‘A hora da família', que deve publicar cerca de 300 mil exemplares, distribuídos desde o Guara peva, no Amazonas, passando pelos recantos do Piauí até Guarapuava, no Paraná, chegando ao Brasil inteiro.

A Pastoral familiar atua em cada paróquia, com reuniões, encontros e nos movimentos como a RCC, Focolares e tantos outros. A Comissão da Pastoral familiar acaba sendo um grande guarda-chuva, que protege esses movimentos, e os incentiva para que eles atuem de acordo com o seu próprio carisma. Concluo que no Brasil esta Pastoral é muito atuante.

Eu peço a todos que leem essa reportagem, que rezem por nós. Rezem para que tudo ocorra bem, para que o papel do Brasil no Encontro no México seja positivo.

Conteúdo acessível também pelo iPhone – iphone.cancaonova.com

Comentários

comentários

↑ topo