Nova missão

Religiosas brasileiras partem em missão para o Timor Leste

No dia 22 de julho, as Irmãs Marlene Oliveira e Maria Helena Lima Barbosa desembarcarão no Timor, enviadas pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB).

As irmãs integram o Projeto Missionário de Solidariedade entre a Igreja do Brasil e a Igreja do Timor Leste, criado no ano 2000, em resposta ao pedido de ajuda do bispo timorense Dom Basílio Nascimento. Coordenado pelo Conselho Missionário Nacional (Comina), o Projeto sustenta seis religiosas na diocese de Baucau. Cada missionária fica um período de três anos e o revezamento se dá de maneira a que o grupo vá se renovando nesse período.

Com embarque marcado para o dia 19 de julho, Irmã Marlene e Irmã Helena se preparam, em Brasília, para a nova missão, participando de um curso ministrado pelo Centro Cultural Missionário (CCM) com duração de 30 dias. A assessora da Comissão Episcopal Pastoral para Animação Missionária e Cooperação, Irmã Márian Ambrósio, acompanhará as missionárias em sua viagem ao jovem país asiático.

Ao partilhar suas motivações para a nova missão, Irmã Marlene faz questão de ressaltar que não se percebe diante de uma aventura ou de um sonho, mas de mais uma experiência rica e profunda, uma nova etapa em sua vida missionária. Segundo o presidente da Comissão Episcopal para Animação Missionária da CNBB, Dom Sérgio Castriani, as religiosas se percebem diante de mais uma experiência rica e profunda, uma nova etapa em sua vida missionária.

Cearense de Morrinhos, Ir. Marlene Oliveira, 60, da Congregação das Irmãs Josefinas, substituirá, no Timor Leste, a Ir. Maria Nieta Oliveira, da mesma Congregação. Já a paraense de Irituia, Irmã Maria Helena Lima Barbosa, 47, da Congregação das Irmãs do Preciosíssimo Sangue, volta pela segunda vez ao Timor, onde atuou de 2002 a 2005 pelo Projeto.

Para sustentar o Projeto Missionário de Solidariedade entre a Igreja do Brasil e a Igreja do Timor Leste, a CNBB realizou, no dia 20 de maio, uma coleta nacional cujos valores chegaram, até agora, a R$ 160 mil, depositados por cerca de 200 das mais de nove mil paróquias brasileiras. Segundo Ir. Márian, a expectativa é de que a arrecadação chegue a R$ 300 mil, valor necessário para manter o Projeto até 2010.

Comentários

comentários

↑ topo