Clima sereno e alegre

Porta-voz do Vaticano comenta celebração do Papa com jesuítas

Mais de 300 jesuítas participaram nesta sexta-feira, 3, de uma Missa celebrada pelo Papa Francisco na Igreja de Jesus, em Roma. A data é significativa para a ordem, já que hoje é o dia dedicado ao Santíssimo Nome de Jesus. O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, comenta como foi esse momento de Francisco, primeiro Papa jesuíta, com seus irmãos da Companhia de Jesus.

Padre Lombardi também é jesuíta. Ele descreve como sereno, tranquilo e alegre o clima da Missa desta manhã quando, segundo ele, Francisco manifestou aos jesuítas sua profunda fraternidade espiritual.

“É preciso pensar que é a Festa do Nome de Jesus, então a festa 'titular' da Companhia, que é dedicada de fato ao Nome de Jesus, e era muito belo poder vivê-la junto com o Santo Padre, ainda mais nesta ocasião em que foi canonizado, há poucos dias, São Pedro Fabro, que é o primeiro companheiro de Santo Inácio”.

Da homilia, o sacerdote destaca dois pontos, em especial: o Nome de Jesus como tal e a figura de São Pedro Fabro como pessoa de grandes desejos. “O espírito de São Pedro Fabro é aquele de cultivar verdadeiramente o grandíssimo desejo de fazer conhecer não somente o Nome de Jesus, mas o amor de Deus por todos, mesmo em situações difíceis como aquela em que ele trabalhava no tempo da divisão entre os cristãos”.

Ele recorda ainda que Francisco definiu o jesuíta como um homem inquieto, uma espiritualidade que é muito característica da Companhia de Jesus. “Procurar e encontrar o Senhor e a sua vontade, não para parar, mas para continuar a procurá-Lo ainda”.

Sobre a saudação de Francisco aos jesuítas presentes, que somavam mais de 350, padre Lombardi lembra que é característico do Papa ter esta atenção e esta paciência de saudar todos, um por um. “Ele quis saudar todos de modo a manifestar a sua fraternidade espiritual profunda”, concluiu.

Comentários

comentários

↑ topo