Projeto de lei

Pais podem ser obrigados a acompanhar vida escolar dos filhos

Participar do dia a dia escolar dos filhos é direito dos pais e de responsáveis pelas crianças. Só que esse comportamento, que antes acontecia conforme a consciência e a postura da família, agora, pode se tornar obrigatório.

Assista à reportagem

Na relação aluno-escola, a família compõe um lado importante. Na casa do André é assim. A bagunça fica por conta dele, agora, quando o assunto são os estudos entra em cena a dedicação da mãe, a administradora Andréa Longuine, sempre de olho nas lições de casa e acompanhando de perto o desempenho escolar do filho.

"Pergunto o que ele fez na escola, como foi a escola, o que ele aprendeu de novo. Vou nas reuniões, não perco nenhuma reunião escolar", conta Andréa.

Pois é, mas nem todos pais seguem essa lição. Por isso, um projeto de lei de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) quer punir pais ou responsáveis que não comparecerem à escola pelo menos uma vez a cada dois meses para acompanhar o desempenho do filho.

A proposta já foi aprovada para ser votada no Senado e caso isso aconteça, quem descumprir pode pagar multa, ser barrado em concurso público, na solicitação de empréstimos ou para obter passaporte ou carteira de identidade. A ideia é boa, mas desnecessária diz essa professora.

"Vai melhorar se houver mudança da consciência, se for apenas uma obrigatoriedade não muda. Tem que mudar a postura", afirma a pedagoga Márcia Maria de Castro Buzzato.

Só que mais do que responder presença na escola, para acompanhar de forma efetiva o rendimento, a família deve conversar mais com o filho no dia a dia na sala de aula, incentivar a leitura e a escrita, e acompanhar o rendimento escolar.

"Acompanhar os filhos não significa estar na escola todos os dias, isso nem é possível. O que a gente espera é que o pai tenha um acompanhamento do incentivo ao filho na escola", destaca a pedagoga.

"A partir do momento em que há esse acompanhamento conjunto à escola, há um bom rendimento do aluno", afirma a professora Gisele Gonçalves.

Se obrigar os pais a participar da vida escolar dos filhos é um bom caminho, ainda não se sabe, mas sem dúvida, qualquer futuro brilhante passa obrigatoriamente pelo ensinamento dos pais.

Comentários

comentários

↑ topo