Descoberta

Manuscritos hebraicos milenares são encontrados no Afeganistão

Fragmentos de manuscritos hebraicos com mais de mil anos, provenientes do Afeganistão foram adquiridos pela Biblioteca Nacional de Israel. É o que informa o site da Biblioteca, acrescentando se tratar de documentos de significativo valor histórico que constituem uma prova a mais da presença da comunidade hebraica no norte do atual Afeganistão.

Os fragmentos adquiridos pela biblioteca são 29 e se acredita que façam parte de um grupo mais significativo de várias centenas, provenientes de uma “ghenizah”, o local onde são guardados documentos em uma sinagoga.

A descoberta mais importante é a página de um comentário da Bíblia do Profeta Isaías atribuído ao rabino egípcio Saadia Gaon, que viveu no século X, entre Egito e Bagdá. Os fragmentos, no entanto, são de um século mais tarde.

“A região remota onde foram encontrados os documentos era um importante centro econômico, cultural e político durante a Idade Média”, afirmou o diretor acadêmico da Bibilioteca Haggai Ben-Shammai, ao jornal Haaretz.

Os manuscritos são a primeira prova documental da presença desta comunidade de judeus provenientes de diversas regiões de influência persa e árabe.

Encontrados dentro de uma caverna, os manuscritos são de diversos tipos: alguns são de caráter religioso, outros são contratos e cartas. São escritos em hebraico, aramaico, árabe e persa. Diversos são os alfabetos utilizados, alguns usam além disto um sistema de vocalização muito particular, chamado de “babilônico”, muito comum entre os hebreus de Bagdá.

Comentários

comentários

↑ topo