CNBB

Há uma visão redutiva da pessoa humana no PNDH-3, diz bispo

O Bispo de Petrópolis (RJ), Dom Filippo Santoro, falou ao noticias.cancaonova.com sobre o Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH-3) e relatou que este também é um dos temas discutidos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) durante a 48º Assembleia Geral, que acontece em Brasília (DF). "Estamos preparando uma declaração, espero que ela seja uma palavra clara sobre estes pontos que não podemos aceitar" informou.

Confira a entrevista:

noticias.cancaonova.com: Como os bispos do Brasil estão reagindo diante do polêmico decreto do PNDH-3?

Dom Filippo: Os bispos estão discutindo este plano. Foi apresentada uma história de como a Igreja, ao longo de todos os anos e também aqui no Brasil, particularmente no tempo da ditadura, foi a favor dos direitos humanos.

No Programa Nacional de Direitos Humanos, introduz-se algumas coisas que são contrárias à doutrina social da Igreja como a despenalização do aborto, o casamento de pessoas do mesmo sexo, a adoção de crianças com pessoas do mesmo sexo, a eliminação de símbolos religiosos, a redução do ensino religioso, a história das religiões, a limitação da liberdade de imprensa e a anistia. Diante destes pontos contrários, os bispos estão refletindo.

O PNDH-3, tem pontos favoráveis que são antigas batalhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e da Igreja Católica. Está havendo a oportunidade de fazer uma declaração própria da CNBB.

noticias.cancaonova.com: Há uma visão errada sobre o 'humano' neste programa?

Dom Filippo: Sim. Além dos casos de que lembrei, há uma visão fundamental que é contrária à doutrina social da Igreja, que considera a pessoa humana não originariamente como fonte de direito e deveres (como o aborto, o casamento de homossexuais e outros). Também que a pessoa humana é definida pelo poder político e pelo Estado, mas não por sua relação com Deus, com o mistério. Essa é uma visão redutiva da pessoa humana, é uma antropologia reducionista.

noticias.cancaonova.com: A CNBB vai emitir uma nota de repúdio a este programa?

Dom Filippo: Estamos preparando uma declaração, espero que ela seja uma palavra clara sobre estes pontos que não podemos aceitar.

noticias.cancaonova.com: Como os cristãos devem se comportar perante este programa?

Dom Filippo: Pegar o que é bom, mas ter o juízo claro sobre a visão de fundo que não é segundo a doutrina social da Igreja. Saber o que pode ser valorizado e o que é contrário, e este deve ser rejeitado.

Programa Nacional dos Direitos Humanos

Às vésperas do Natal de 2009, o presidente Lula apresentou seu 3º Plano Nacional dos Direitos Humanos (PNDH 3), causando assombro e perplexidade entre vários setores da sociedade brasileira. O (PNDH-3) contém uma série de diretrizes inconstitucionais que pode desestabilizar o equilíbrio de Poderes no Brasil.

Os principais pontos criticados são a defesa da legalização do aborto, o cerceamento à liberdade de imprensa e à propriedade privada, a proibição de símbolos religiosos em locais públicos, a união entre pessoas do mesmo sexo e a adoção por casais homossexuais.

Para a Igreja, a falta de difusão do debate prejudicou a participação de todos os setores da sociedade na elaboração do PNDH-3. 

Assista


Leia mais

.: Doutrina Social da Igreja e Direitos Humanos são tema de seminário
.: Movimentos sociais divulgam declaração contra PNDH-3
.: Programa de Direitos Humanos é "desumano", afirma jurista



Siga o Canção Nova Notícias no
twitter.com/cnnoticias

Conteúdo acessível também pelo iPhone – iphone.cancaonova.com 

 

 

Comentários

comentários

↑ topo