Série Adoção

Conheça histórias de crianças que ninguém quer adotar

O Cadastro Nacional de Adoção, que deverá estar pronto no próximo sábado, 8, já tem 15 mil casais inscritos e mil e quinhentas crianças cadastradas. Esse número deve crescer quando os juízes do Brasil inteiro enviarem as informações de todas as varas da infância. Na segunda reportagem da Série Doação, um ato de amor, você vê o drama dos voluntários que se apaixonaram por crianças dos abrigos e as histórias dos menores que ninguém quer.

Assista à reportagem

Os abrigos estão lotados de crianças e a fila de adoção demora para andar. Qual a explicação para isso? Muitas destas crianças ainda tem uma chance de voltar às suas família de origem, mas, muitas outras já poderiam ter um novo lar se os casais não fizessem tantas exigências.

A preferência dos casais que querem adotar são os bebês e do sexo feminino. Quanto mais velha a criança, menor é a chance de ser adotada. Se ela tiver um problema de saúde, pode ser que nunca consiga uma nova família.

Para as crianças que ninguém quer, a possibilidade de ganhar uma nova família vem em geral daqueles que convivem com elas e passam a amá-las. São os voluntários das instituições. Acontece que muitos juizes não vêem com bons olhos os candidatos que nunca entraram numa fila de adoção, mas se apaixonaram por uma criança do abrigo.

O Canção Nova Notícias exibe hoje a última reportagem da série sobre adoção. Você verá a alegria de quem abriu a casa e o coração para receber filhos adotivos e a história de crianças que ganharam uma nova vida através deste ato de amor.

Assista à primeira reportagem da série
.: Abrigos deveriam ser solução provisória para menores abandonados

Comentários

comentários

↑ topo