Comunhão

CNBB saúda Bispos recém-nomeados

Dom Leonardo Steiner, em nome da CNBB, enviou saudação especial aos novos bispos para o Brasil nomeados nesta quarta-feira, 8 de maio, pelo Papa Francisco: Monsenhor Luiz Antonio Cipolini como bispo de Marília (SP) e Monsenhor José Aparecido Gonçalves de Almeida como auxiliar de Brasília (DF) nesta quarta-feira, 8 de maio.

Ao recém nomeado auxiliar de Brasília, Dom Leonardo destacou a espiritualidade própria de um Bispo. Ele disse que a oração é o pilar no qual se deve apoiar no caminho de cada dia para crescer na intimidade com Deus. "O Bispo quanto mais for homem de Deus, tanto mais será pai e pastor do seu rebanho", diz a nota.

E ao novo Bispo de Marília, o secretário geral da CNBB ressalta que um bispo encontra a sua identidade e o seu lugar no seio da comunidade dos discípulos do Senhor. "Na Igreja, escola do Deus vivo, Bispos e fiéis são todos condiscípulos e todos têm necessidade de ser instruídos pelo Espírito,” destaca a nota.

Leia as duas saudações

 

Saudação ao novo bispo auxiliar de Brasília

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil recebeu, na manhã desta quarta-feira, 8 de maio, o comunicado da Nunciatura Apostólica que o Papa Francisco nomeou, como novo bispo auxiliar de Brasília (DF), Monsenhor José Aparecido Gonçalves de Almeida. Essa notícia nos trouxe muita alegria e cumprimentamos o novo bispo, juntamente com o povo da arquidiocese da capital federal e seu arcebispo, dom Sergio da Rocha.

 

Membro do clero da diocese de Santo Amaro (SP), ele trabalhou entre 1987 e 1990, como vigário paroquial, administrador paroquial e pároco em sua diocese. Doutor em Direito Canônico pelo Pontifício Ateneu Santa Cruz de Roma, Monsenhor José Aparecido tem servido à Igreja nos últimos anos como subsecretário do Pontifício Conselho para Textos Legislativos e consultor da Congregação para o Culto Divino e para a Disciplina dos Sacramentos no Vaticano.

Lembramos que a alegria de sua chegada ao ambiente da Conferência se traduz na nossa disponibilidade de rezarmos pela sua nova missão apoiada numa espiritualidade também nova. A espiritualidade do bispo, lembrando as Diretrizes Pastorais para os bispos, tem a sua fonte em Cristo e a sua expressão mais íntima na oração do Bispo, que é definida como o pilar no qual se apoiar no caminho de cada dia para crescer na intimidade com Deus. O Bispo quanto mais for homem de Deus, tanto mais será pai e pastor do seu rebanho.

Desejamos que seu trabalho seja cheio de frutos e eu, particularmente, o acolho como irmão de caminhada, uma vez que também sirvo à mesma Igreja Particular, e desejo que nossa convivência seja abençoada.

Leonardo Ulrich Steiner

Bispo auxiliar de Brasília

Secretário geral

 

Saudação ao novo bispo de Marília

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil acolhe, com alegria, a nomeação de Monsenhor Luiz Antônio Cipolini, atualmente pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em São João da Boa Vista (SP), como novo bispo de Marília (SP). O comunicado desta nomeação feita pelo Papa Francisco nos chegou na manhã desta quarta-feira, 8 de maio.

Monsenhor Luiz Antônio é paulista de Caconde e foi ordenado padre em 1986. Desde aquela época atuou como vigário, pároco e reitor do Seminário. Desse modo, fez um caminho substancioso na pastoral direta com o povo e com a formação do clero. Essa longa experiência nesses campos são alicerces fortes para realizar sua missão como bispo. Em sua sólida formação consta o título de Mestre em Teologia Moral no Instituto Superior de Teologia Moral, em Roma, a Accademia Alfonsiana, ligada à Pontifícia Universidade Lateranense.

Saudamos esse nosso Irmão, recordando o que ouvimos durante o retiro realizado na última assembleia geral dos bispos em Aparecida, de 10 a 19 de abril passados: “um bispo encontra a sua identidade e o seu lugar no seio da comunidade dos discípulos do Senhor, onde recebeu o dom da vida divina e a primeira instrução na fé. Sobretudo quando da sua cátedra episcopal exerce na presença da assembleia dos fiéis a sua função de mestre na Igreja, cada Bispo deve poder repetir como santo Agostinho: ‘Se se considerar o lugar que ocupamos, somos vossos mestres; mas, pensando no único Mestre, somos condiscípulos vossos na mesma escola’. Na Igreja, escola do Deus vivo, Bispos e fiéis são todos condiscípulos e todos têm necessidade de ser instruídos pelo Espírito.”

Pedindo, em oração, que sua missão seja abençoada, saudamos o povo da diocese de Marília e elevamos nossa ação de graças pelo trabalho realizado com dedicação por dom Osvaldo Giuntini que viverá, a partir de agora, o tempo profícuo da emeritude.

Leonardo Ulrich Steiner

Bispo auxiliar de Brasília

Secretário geral

        

Comentários

comentários

↑ topo